quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Por que escrever um artigo científico?

É comum, principalmente na vida acadêmica, presenciar o desenvolvimento de pesquisas e artigos científicos. Muitos se perguntam sobre a importância de escrevê-los e acabam não se aprofundando no assunto, deixando de lado uma ótima experiência.

Embora seja cansativo, escrever um artigo permite aos autores o compartilhamento de informações e aprendizado contínuo, pois relaciona a busca por referenciais bibliográficos, que proporcionam conhecer vários conceitos, com o ambiente estudado que, por sua vez, vai apresentar características e até mesmo problemas; e cabe aos pesquisadores solucionar e explicar o objeto de estudo através de ferramentas e raciocínios.

Escrever um artigo envolve tempo. Cada tipo de pesquisa tem uma série de etapas a serem seguidas, para que o estudo seja bem fundamentado, e todas as etapas devem ser bem planejadas. Podem ser escritas individualmente, ou com vários autores, onde cada um dá sua contribuição, ocorrendo uma troca de ideias que deve enriquecer o conteúdo do trabalho.

Os artigos científicos visam apresentar soluções de problemas, criação de programas e ferramentas, estudos de caso, pesquisas, dados estatísticos e comparativos… Tudo isso com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da sociedade e enriquecimento de informações, pois geralmente os artigos vão ser muito úteis para outras pessoas estudarem.

Outra vantagem é que o ambiente de estudo sempre traz muitas informações importantes e vivências diferentes. Durante uma pesquisa, seja de campo ou não, a busca pelo material estudado proporciona contato com pessoas da nossa área de atuação, em diversos ambientes de trabalho, que permitem obter diversas experiências, contribuindo para o crescimento profissional e ampliação de contatos.

Quanto ao tempo de produção de um artigo, depende do que está sendo estudado e de quem está escrevendo. O ideal é gostar muito de escrever. No campo da engenharia existem vários temas de todas as áreas, basta buscar por aquele que mais desperta interesse. Podem ser objetos de estudo: empresas, grupos de trabalho, máquinas, equipamentos, materiais, propostas de melhoria, análises… Todos os tipos de estudos têm sua utilidade – muitas vezes são até relacionados, cabe aos autores dar boas contribuições para suas respectivas áreas de atuação.

Os destinos desses artigos são vários. Eles podem ser submetidos à revistas científicas online e impressas, eventos acadêmicos, simpósios, encontros, congressos, e-books e até mesmo se tornarem capítulos de livros. Vai depender da preferência dos autores sobre qual evento participar, da abordagem do assunto e da qualidade do material.

Analise uma causa, trace um objetivo, pesquise a bibliografia, escreva. Defina a metodologia do estudo, pois isso diz muito sobre o artigo. Descreva os resultados (relacione aos conceitos apresentados), e faça uma introdução e conclusão que deixe bem claro o que o trabalho define, e o que foi obtido através dele. Uma boa ortografia é fundamental, escreva com atenção.
Uma dica importante: sabe aquele trabalho feito na graduação (ou outra modalidade que você cursou ou esteja cursando), que exigiu muito do seu tempo e dedicação, foi cansativo, mas no final ficou um bom trabalho? Ele pode se tornar um artigo científico. Basta buscar uma orientação e adequar às normas, com introdução, referencial teórico, metodologia, resultados e conclusão. E, claro, tem que referenciar todos os conceitos de outros autores utilizados no trabalho.

E você, já pensou em pesquisar e escrever sobre os estudos feitos na áreas da engenharia?


Fonte: Blog da Engenharia

Nenhum comentário:

Postar um comentário