quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

O sucesso depende mais da personalidade do que da inteligência, mostra novo estudo



A maioria de nós que não possuímos um cérebro do tamanho de Einstein, nos perguntamos: Sou realmente esperto o suficiente para realizar meus sonhos? Alguns de nós até mesmo recusou uma oferta ou não foi atrás de uma oportunidade pelo medo de simplesmente não ter  potência mental para ter sucesso.
 
Isso é uma vergonha, sugere um novo estudo conduzido pelo laureado com o Nobel, James Heckman e colegas, porque o QI não tem nada a ver com sucesso.

Personalidade supera inteligência

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores pegaram dados sobre os testes de QI, resultados de testes padronizados, avaliações de personalidade de milhares de pessoas na Europa e América, de acordo com Faye Flam da Bloomberg. Eles então calcularam quão perto cada um desses fatores previu ganhos futuros. Qual porcentagem de sucesso futuro dependia do QI de uma pessoa? Somente 1-2 por cento.

E isso prova, que os índices de QI dificilmente importam quando se trata de sucesso. Então, quais características importam mais?

A equipe de pesquisadores concluiu que os traços de caráter, como a conscientização (em essência, o fato de você ter pego sua tabela periódica e estudado) e a abertura (que você estava curioso sobre química em primeiro lugar, por exemplo) são muito mais preditivos dos resultados da vida.

O estudo descobriu que as notas e resultados de realização de teste foram preditores melhores do sucesso do adulto do que pontuações do QI, e isso reflete não apenas a inteligência, mas também o que Heckman chama de” habilidades não cognitivas “, como perseverança, bons hábitos de estudo e capacidade de colaborar – em outras palavras, conscientização.

Em suma: “A personalidade conta muito”, segundo Flam.

Sim, você pode mudar sua personalidade

Isso é uma boa notícia para aqueles interessados em auto-aperfeiçoamento, porque enquanto o QI é amplamente fixo, a personalidade é mais maleável. Outra pesquisa de Heckman mostra que as intervenções da infância para ajudar as crianças a desenvolver os traços de personalidade certos para o sucesso pode ser útil.

Outros especialistas em psicologia argumentam persuasivamente que a personalidade não é destino. Fazemos um desserviço, observam, quando vemos nossa personalidade como fixa e inflexível. Na verdade, a ciência sugere que nosso caráter e comportamento podem ser drasticamente alterados por novas circunstâncias.

Então, pare de perguntar: “Eu tenho o cérebro para ter sucesso?” E começar a perguntar-se: “Eu tenho personalidade pra isso?”. E se a resposta for “agora não”, não fique muito desanimado. É possível mudar para melhor.

Fonte: Engenharia É

Nenhum comentário:

Postar um comentário